Crítica da REPESENTAÇÃO INFINITA e do NEGATIVO em LEIBNIZ e HEGEL por Deleuze, parte II

Download integral aqui

“A REPRESENTAÇÃO INFINITA é objecto de um duplo discurso:
o das propriedades
e o das essências
o dos pontos físicos e o dos pontos metafísicos ou pontos de vista,
em Leibniz,
o das figuras e o dos momentos ou categorias,
em Hegel.

Não convém dizer que Leibniz vai menos longe que Hegel;
há nele até mesmo mais profundidade,
mais componente orgíaco ou delírio báquico,
no sentido de que o fundo goza de uma iniciativa maior.

Mas, nos DOIS casos, NÃO parece que a REPRESENTAÇÃO INFINITA
BASTE para tornar o pensamento da diferença independente
da simples ANALOGIA das essências
ou da simples SIMILITUDE das propriedades.
É que, em última instância,
a REPRESENTAÇÃO INFINITA
não se desliga do PRINCÍPIO DE IDENTIDADE
corno pressuposto da REPRESENTAÇÃO.

Eis por que ela permanece submetida
à condição da convergência das séries, em Leibniz,
e à condição da monocentragem dos círculos, em Hegel.
A REPRESENTAÇÃO INFINITA invoca um FUNDAMENTO.
Mas se o fundamento não é o próprio idêntico,
ele não deixa de ser uma maneira de se levar particularmente a sério
o princípio de IDENTIDADE, de dar-lhe um valor infinito,
de torná-lo co-extensivo ao todo e levá-lo, assim, a reinar sobre a própria existência.
Pouco importa que a identidade
(como identidade do mundo e do eu)
seja concebida como analítica, sob a espécie do infinitamente pequeno,
ou como sintética, sob a espécie do infinitamente grande.
Num caso, a RAZÃO SUFICIENTE, o fundamento,
é o que vice-diz a identidade;
no outro, o que a contradiz.
Mas, em todos os casos,
a razão suficiente, o fundamento, através do infinito,
apenas leva o IDÊNTICO a existir em sua própria identidade.
Neste ponto, o que é evidente a respeito de Leibniz
não o é menos a respeito de Hegel.

A contradição hegeliana não nega a identidade ou a não-contradição;
ela consiste, ao contrário, em inscrever no existente os dois Nãos da não-contradição,
de tal maneira que a IDENTIDADE,
sob esta condição, nesta fundação,
baste para pensar o existente como tal.
As fórmulas segundo as quais
“a coisa nega o que ela não é”
ou “se distingue de tudo o que ela não é”
são MONSTROS LÓGICOS
(o Todo do que não é a coisa)
a serviço da IDENTIDADE.
DIZ-SE que a DIFERENÇA é a negatividade,
que ela vai ou deve ir até a contradição,
desde que seja impelida até o extremo.
ISTO SÓ é verdade na medida em que
a diferença já esteja posta num caminho,
num fio estendido pela IDENTIDADE
na medida em que é a identidade que a impele até lá.
A diferença é o fundo,
mas apenas o fundo para a manifestação do IDÊNTICO.
O círculo de Hegel NÃO É o eterno retorno,
mas somente a circulação infinita do idêntico através da negatividade.
A audácia hegeliana é a última e a mais poderosa homenagem prestada ao
velho princípio.

Entre Leibniz e Hegel,
pouco importa que o NEGATIVO suposto da diferença seja pensado
como limitação vice-dizente
ou como oposição contra-dizente,
assim como não importa que
a IDENTIDADE INFINITA seja posta
como analítica
ou sintética.
De qualquer modo,
a DIFERENÇA permanece subordinada à IDENTIDADE,
reduzida ao NEGATIVO,
encarcerada na SIMILITUDE e na ANALOGIA.

Eis por que, NA REPRESENTAÇÃO INFINITA,
o DELÍRIO é apenas um FALSO DELÍRIO pré-formado,
que em nada perturba o repouso ou a serenidade do IDÊNTICO.
A representação INFINITA tem, pois,
o mesmo DEFEITO da representação FINITA:
o de confundir o conceito próprio da diferença
com a inscrição da diferença na identidade
do conceito em geral
(se bem que tome a identidade como puro princípio infinito,
em vez de tomá-la como género,
e estenda ao todo os direitos do conceito em geral,
em vez de fixar-lhe os limites).”

Deleuze “Diferença e Repetição” pp. 279
(capítulo “Diferença em Si mesma”, pp.112
Diferença e Repetição tem 7 capítulos (1+2+1+2+1)
1.Introdução
2. Diferença em Si 3. Repetição Para Si
4. Imagem do Pensamento
5. Síntese Ideal da Diferença 6.Síntese Assimétrica da Repetição
7. Conclusão

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s