Dramatização em Deleuze e Esquema em Kant

O que denominamos drama
assemelha-se, particularmente,
ao esquema kantiano.
Com efeito, segundo Kant,
o esquema é uma determinação a priori
do espaço e do tempo
correspondente a um conceito:
o mais curto é o drama,
o sonho ou, sobretudo, o pesadelo da linha reta.

É exatamente o dinamismo
que divide o conceito de linha em reta e curva,
e que, além disso,
como na concepção arquimediana dos limites,
permite medir a curva em função da reta.

Entretanto, o que ainda permanece totalmente misteriosa
é a maneira pela qual o esquema tem esse poder em relação ao conceito.

De certo modo,
todo o pós-kantismo tentou elucidar o mistério dessa arte oculta,
de acordo com a qual
determinações dinâmicas espaço-temporais
têm verdadeiramente o poder de
dramatizar um conceito,
embora elas sejam de uma natureza totalmente distinta da dele.

A resposta talvez esteja na direção que certos pós-kantianos indicavam:
os dinamismos espaço-temporais puros
têm o poder de dramatizar os conceitos,
porque eles, primeiramente, atualizam, encarnam Idéias.

Dispomos de um ponto de partida para verificar tal hipótese:
se é verdade que os dinamismos
comandam os dois aspectos inseparáveis da diferençação

especificação
e partição,
qualificação de uma espécie
e organização de um extenso –,

seria preciso que a Idéia, por sua vez,
apresentasse dois aspectos
dos quais estes derivam de uma certa maneira.

Devemos, portanto,
interrogar-nos sobre a natureza da Idéia,
sobre a sua diferença de natureza relativamente ao conceito.
Uma Idéia tem duas características principais.
De um lado, ela consiste
num conjunto de relações diferenciais
entre elementos destituídos
de forma sensível
e de função,

elementos que só existem pela sua determinação recíproca.

Tais relações são do tipo dx/dy
(embora a questão do infinitamente pequeno de modo algum tenha de intervir aqui).

Nos mais diversos casos,
podemos perguntar se nos encontramos efetivamente diante
de elementos ideais, isto é,
sem figura
e sem função,
mas reciprocamente determináveis
numa rede de relações diferenciais:

os fonemas estão neste caso?

E tais ou quais partículas físicas?

E os genes biológicos?

Em cada caso, devemos perseguir nossa pesquisa
até a obtenção desses diferenciais,
que só existem e são determinados
uns em relação aos outros.

Invocamos, então, um princípio,
dito de determinação recíproca,
como primeiro aspecto da razão suficiente.

Por outro lado,
às relações diferenciais
correspondem distribuições de singularidades”,
repartições de pontos notáveis e de pontos ordinários,
tais que um ponto notável engendra uma série prolongável
sobre todos os pontos ordinários até a vizinhança de uma outra singularidade.

As singularidades são acontecimentos ideais.

É possível que as noções de singular e de regular,
de notável e de ordinário,

tenham para a própria filosofia
uma importância ontológica e epistemológica
muito maior do que as de verdadeiro e de falso,
pois o sentido
depende da distinção e da distribuição
desses pontos brilhantes na Idéia.

Concebe-se que uma determinação compleata
da Idéia, ou da coisa em Idéia,
opere-se assim, constituindo o segundo aspecto da razão suficiente.

A Idéia, portanto, aparece como uma multiplicidade
que deve ser percorrida em dois sentidos:
do ponto de vista da variação de relações diferenciais
e do ponto de vista da repartição das singularidades
que correspondem a certos valores dessas relações.

O que antes denominamos procedimento da vice-dicção
confunde-se com esse duplo percurso
ou essa dupla determinação,
que é recíproca
e completa.”

Ver também aqui sobre relação Deleuze e Kant

A ideia de GÉNESE na ESTÉTICA Kantiana segundo DELEUZE (Pt)

“Território” em Deleuze (e Kant, e…) – n é “espacial” mas uma “Geografia da Razão”

 

 

Com as etiquetas , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: